segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Água gelada.


Tem umas coisas, umas pequenas sensações, que realmente não têm preço. Ultimamente tenho ido correr depois da aula. Mesmo quando o dia é supercansativo e toda a minha vontade é de chegar em casa o mais rápido possível pra me jogar na cama que nem uma pedra, vou lá e corro fielmente meus três quilômetros (que por sinal vêm sendo feitos em cada vez menos tempo, com último recorde cravando no relógio 14 minutos e 40 segundos). Tudo bem, o local, que na hora do rush é assim de gente, à hora da noite em que eu posso ir já é um pouco vazio, quase ninguém, um cenário até um pouco melancólico, admito, mas que não deixa de ser, antes de melancólico, tranquilo, quase fazendo a gente esquecer aquele turbilhão de buzinas, barulhos, carros, construções e tudo o mais que atormenta a cidade até certa hora.

Pois é, mas a parte boa, a das pequenas sensações, citada no primeiro período deste texto, vem depois da corrida. É chegar em casa cansadaço, completamente suado, exausto, com o corpo ainda quente por conta do exercício de minutos atrás... e entrar no chuveiro de uma vez. Mas detalhe: o chuveiro tem que ser ligado bem forte, com a água bem gelada. Cara, eu vou lhe dizer, na hora em que a água bate na cabeça, parece que você vai voar. É como se todo o pensamento ruim que tentou lhe apanhar durante o dia - aquele contrato no trabalho que não deu certo, aquele encontro que ficou pra depois, a prova que foi horrível, a viagem que furou, aquele cara no trânsito que quase bate em você e ainda lhe deu aquela buzinada, enfim, tudo! - escorresse no primeiro contato da água com a sua cabeça. E aí, depois (e que os ambientalistas não me escutem), fico um tempão debaixo do chuveiro, deixando a água bater, deixando a cabeça esfriar, pensando em tudo, pensando em nada. Ah, e, fora isso, tem a sensação de saúde que eu vou te contar, você chega até a cogitar participar das próximas Olimpíadas.

É isso aí: água gelada numa cabeça bem quente. Se você tiver com uns probleminhas, faça isso. Eu garanto: por mais que eles voltem depois, escorrem todos no primeiro jato d'água.


Frase do dia:
"Coragem, às vezes, é desapego. É parar de se esticar em vão para trazer a linha de volta. É permitir que voe sem que nos leve junto. É aceitar que a esperança há muito se desprendeu do sonho. É aceitar doer inteiro até florir de novo. É abençoar o amor, aquele lá, que a gente não alcança mais."
Ana Jácomo

Nenhum comentário:

Postar um comentário