sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Triste, se me permite.


"Porra, porque no mundo hoje é assim, você não pode ficar triste nunca, nem um momento sequer." Há alguns meses eu estava conversando com minha irmã quando ela, dando continuidade ao assunto que ela mesma já havia mudado umas trinta vezes durante a conversa, naquele típico diálogo em alta velocidade tradicional para as mulheres, soltou essa frase, que me surgiu como um raro estalo de sensibilidade e de sabedoria, dois substantivos que, ao que me parece, à medida que faltam na maioria das pessoas, sobram na pessoa de minha irmã.

Mas, como vinha dizendo, a frase me pegou desprevenido e me pôs pela primeira vez de frente para esse fato, o fato de que realmente, hoje em dia - e digo hoje em dia, mas isso pode ser bem antigo - há uma certa proibição em ficar triste. Bom, é claro que as pessoas que gostam de você jamais vão querer ver você sofrendo, chorando pelos cantos e naquela deprê. Óbvio.

Mas o que nos falta entender é que a tristeza, em dados momentos, faz parte de um processo de crescimento. Faz parte da vida. Porque ela, a vida, é assim mesmo, nos traz um momento feliz, depois nos mostra outro mais feliz ainda, depois joga no nosso colo algo superdoloroso e inesperado, depois espera a gente se recompor e aí começa tudo de novo, e fica nessa brincadeira de mau gosto até o dia em que você, já com uma certa rodagem na estrada, conquista merecidamente o maravilhoso prêmio de poder parar, olhar pra frente e, enfim, compreender: a vida é assim mesmo. E quer saber? Que bom que ela é assim. Que bom que há pedras pelo caiminho e que há choros e que há dor e que há pessoas importantes que se vão. Se é bom na hora da dor? Claro que não. Se a gente sente uma pontada lá no fundo do peito e acha que não vai aguentar? Ô, como sente. Se tem remédio à venda na farmácia na hora mais dolorosa? Não que eu saiba. Mas o certo é que, embora a maioria das pessoas não compreenda - e não compreenda por uma razão louvável, a de não querer ver o outro pra baixo -, a tristeza in-fe-liz-men-te faz parte, e às vezes a gente, pra poder florir de novo, tem mesmo que deixar doer inteiro, de ponta a ponta.


Frase do dia:
"O tempo não cura tudo. Aliás, o tempo não cura nada, o tempo só tira o incurável do centro das atenções."
Autor desconhecido

Um comentário:

  1. Maluquete,
    Só sente tristeza quem teima em viver e ser feliz! Há sentimento diverso dentro de nós e quanto mais adentramos no universo inusitado de SER e de VIVER, mais nos arriscamos às sensações de perda, dor , luto e derrota. Só admite a derrota quem sabe vencer. Só admite a tristeza quem sabe o valor da alegria genuína. Só sente dor pela perda dos vínculos ou inviabilidade das relações quem, por qualquer tempo nada regulamentar, saiu de si e olhou ao redor, e encontrou o outro. Sim, sintamos! Sim, sejamos! Alegres, tristes, invencíveis na arte de amar, de querer e de viver. Beijo enorme à você e á sua musa inspiradora deste texto.

    ResponderExcluir