segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Felizes


Haverá um dia, sim, há de haver esse dia, em que ainda seremos felizes, inteiramente felizes; mas não felizes assim, como você está a imaginar; seremos felizes de uma forma tão feliz, mas tão feliz, que ainda está pra ser criado o vocábulo resumidor de tanta felicidade. Não, não; na verdade seremos tão felizes que nem haverá palavra que nos chegue (pra que palavras, se já seremos felizes?); dormiremos tarde da noite (porque à noite é que o homem se ergue, se infinta; ao que de dia, se apequena, se avilta); todo mundo terá uma cama quente numa noite fria; terá um lençol macio tocando uma pele sempre limpa; toda a gente será de mente boa e branda e branca, onde só passearão os sonhos mais utópicos, que aliás já serão a mais concreta (e feliz!) realidade; todos terão um café feito na hora, bem quente; comerão um arroz com feijão bem temperados, igualmente quentes; todos, ao menos um dia na vida, passearão na praia, pisando, pé descalço, a areia úmida da onda que vai e vem, deixando, carinhosa, o suave toque que beija os pés, obrigatoriamente descalços, que se deixam tocar; e todos, também pelo menos uma vez, irão ao cinema, pra sentar lá atrás, no escuro acolhedor da sala, sentindo o frio aconchegante de uma poltrona espaçosa, sem ninguém na frente; todos terão um time pra torcer (e que esse time nunca perca); toda a gente voltará os olhos para um pôr do sol, que já vai lá, se escondendo atrás do mar; todo patrão terá a humildade de parar um dia pra conversar de igual pra igual com o zelador da empresa, e se dar conta de que a história de vida desse empregado é muito mais louvável que a sua; não haverá despedida sem chegada; nem chope quente ou bar sem amigos; as palavras mágoa, raiva e rancor desaparecerão de todos os dicionários, pois ninguém sequer saberá do que tratam esses sentimentos, que no máximo estarão citados nos livros de História, como comportamentos marcantes de uma época longínqua, como a dos dinossauros ou algo do tipo; todos tomarão um banho de chuva bem forte na vida; todo mundo viajará o mundo todo, de ponta a ponta; e toda a gente se sentirá querida, porque toda mãe abrigará seu filho, que amará seu irmão, que abraçará seu primo, que ajudará o colega, que amará o josé; e todos serão felizes, perfeitamente felizes; e eu, felizmente, quando esse dia chegar, não mais estarei por aqui, poluindo um mundo assim, tão feliz.

Frase do dia:
"(...) quando quiser alguma coisa é só dizer, todas estas palavras são inúteis, e isso ainda é o melhor que podemos dizer delas, quase todas, em verdade, hipócritas, razão tinha aquele francês que disse que a palavra foi dada ao homem para disfarçar o pensamento"
José Saramago

Nenhum comentário:

Postar um comentário