quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Serenidade, nada mais


Felicidades, saúde, dinheiro, muitos anos de vida – são esses os votos que todos damos no dia em que um amigo, um parente, alguém de quem gostamos faz aniversário.

Ok, todas essas coisas são mais que bem-vindas, mas acho que nos esquecemos de desejar aquilo de que o mundo mais carece, aquilo que mais nos falta, em especial nesta vida caótica que acabamos por criar: serenidade. Plenitude. Paz consigo mesmo.

Porque felicidade, ao contrário do que somos levados a pensar, não diz respeito a carro do ano, apartamento de frente pro mar, cartão de crédito com um limite nas alturas ou jantares nos mais refinados restaurantes. Felicidade é se sentir pleno, sereno, satisfeito com os mais simples prazeres que a vida nos proporciona: a beleza de um dia de sol e de céu azul e aberto, uma praia num dia ensolarado, um arroz com feijão bem temperados, um copo d'água quando se está morrendo de sede, uma noite de sono bem dormida. Felicidade, essencialmente, é só isso, esqueça os dicionários.

Pra que tanta mesquinhez, pra que andar tão ligeiro, por que não dar a vez e deixar o carro que está na esquina, há tempos tentando entrar, passar à frente do seu? Slow down, man. Olhe ao redor, se expanda, acalme esse olhar inquieto. Serenize-se.

Acho esse negócio de aniversário meio bobagem (sou muito chato com certas coisas, admito), mas, se ele tem alguma serventia, certamente é esta: a oportunidade que temos de pensar no que desejamos pra mais um ano que se inicia, seja em nossa vida, seja na do outro.

Eu, se só pudesse desejar uma única coisa às pessoas por quem prezo, a partir de hoje desejaria, sem titubear, isto que já quase não encontramos em nosso desordenado arranjo social: serenidade.

Mas... E a saúde, o dinheiro e os muitos anos de vida? Ah, esses não falta quem os deseje.


Frase do dia:
"(...) juntamos palavras, palavras e palavras, um pronome pessoal, um advérbio, um verbo, um adjectivo, e, por mais que intentemos, por mais que nos esforcemos, sempre acabamos por nos encontrar do lado de fora dos sentimentos que ingenuamente tínhamos querido descrever (...)"
José Saramago

2 comentários:

  1. Daniel Porto Cabral17 de setembro de 2011 21:16

    Então favor não esquecer de me desejar isso dia 12/05/2012 viu!!! Rs!!

    ResponderExcluir